Mariana é uma veterinária recém-formada. Ela vê a oportunidade de sua vida ao receber a proposta para catalogar espécies do Pantanal para uma campanha de incentivo ao ecoturismo, organizada pelo dono de uma estância chamada Paraíso.

É acompanhada por um jornalista paulistano, responsável por escrever o texto da campanha. Os dois chegam ao seu novo local de trabalho e se surpreendem com o que encontram. O dono, Santiago, havia preparado estadia da melhor qualidade e as pessoas que ali viviam eram muito carismáticas e atenciosas. Mas o novo patrão era um mistério. Não estava lá para recebê-los e demorou a aparecer. Qual será a história por trás do dono de Paraíso? Mariana estava curiosa para saber.

Este livro me surpreendeu muito. Até o começo da segunda parte, a leitura estava se arrastando e eu estava odiando o livro. Pensei comigo mesma "como posso escrever uma resenha negativa sem ser rude?". Isso me atormentava no começo da leitura.

Não estava gostando do livro por dois motivos principais: a maneira como a autora narra e o romance instantâneo dos protagonistas. O primeiro motivo foi complicado, pois uma boa história depende de uma boa narração. E o modo que a autora utilizou dificultava saber se o que eu estava lendo era um pensamento, uma fala, uma conversa ou o narrador falando. 

Mas, conforme a leitura avançava, fui me acostumando com a escrita e isso parou de me incomodar, pois havia entendido como ela estava escrevendo. Já o segundo motivo me irritou demais! Sempre odiei romances instantâneos, daqueles que os protagonistas se apaixonam à primeira vista e já se entregam um ao outro. 

Minha opinião mudou quando chegou a segunda parte do livro. Nesta etapa da história, somos bruscamente levados ao passado, quando Professora Rosário, personagem importante para Santiago, ainda era jovem e seu protegido, dono da estância, ainda era uma criança. 

Então, acompanhamos desde o início a vida do garoto que ficou órfão de mãe muito cedo e teve que batalhar para vencer na vida. Confesso que história me conquistou! Conhecer de verdade, nos mínimos detalhes, o personagem que antes eu odiava, isso foi essencial. 

A autora foi genial ao inserir esta parte em seu livro. Na verdade, todo o enredo desenvolvido pela Maria da Graça foi incrível. Mesmo no começo da história, quando estava odiando, estava claro para mim a capacidade da autora em descrever lugares, com muita precisão, levando o leitor para dentro do cenário. Isso é maravilhoso! 

O final foi completamente surpreendente, ao mesmo tempo em que foi clichê. Já sabia como iria acabar, mas fui pega de surpresa por tudo o que aconteceu no decorrer da história de Santiago e Mariana.

A contextualização história é muito boa. Os acontecimentos verídicos da história do Brasil estão presentes e a trama se desenvolveu de forma verossímil. A crise econômica, inflação, impeachman do presidente da época e todas as outras coisas que marcaram aquele período aparecem na história como pano de fundo.

Recomendo demais que leiam esse livro!!!! Eu realmente gostei muito e fui surpreendida. Vale a pena investir paciência no começo, caso não esteja gostando, pois do meio para o final, o livro fica de tirar o fôlego! Uma ótima leitura!

Nome do livro: Paraíso selvagem
Autora: Maria da Graça Rodrigues
Editora: Movimento
Número de páginas: 216
Onde encontrar: grasarodrix@gmail.com (e-mail da autora)
Adicione no skoob.
Classificação:



Livro enviado pela autora.

Deixe um comentário

O blog Literatura em Série é um blog pessoal onde falo sobre livros, filmes, músicas e outras coisas que eu queira compartilhar com os leitores.

Obrigada pela visita e não deixe de comentar. Amo conversar com pessoas que tem interesses em comum e conhecer as opiniões diferentes das minhas.

Espero ver você de volta. Até mais.